Diálogos pós-maternidade

Diálogos pós-maternidade #5

Eu no pronto socorro por causa de uma mastite.
Doutor: Sua filha que você amamenta tem que idade?
Dou aquela risadinha de quem sabe que vai ser julgada
Eu: Um ano e nove meses.
Doutor: Você sabe que seu leite agora é só
Eu: CARINHO. Interrompo.
Doutor calado com cara de quem acha que é melhor não contariar.
#peitoémaisquealimento #amamentaréumgestodeamor
#meuleiteédegraça
#elagostaeugosto

Despindo-me

Cuidando de mim

Quando eu tinha uns vinte e um anos de idade apareceu uma manchinha no meu rosto. Tipo um bigodinho que se acentuou durante a gestação de Cecília e piorou bastante quando fiquei grávida de Stela. De brinde, surgiram mais duas manchas uma em cada lado da bochecha. Incomodada com as manchas, mas no olho do furacão com duas bebês pra dá conta, acabei deixando essas manchas de lado, até o dia que minha irmã fez um comentário engraçadinho sobre o meu “bigodinho”.

Tomei vergonha na cara e procurei uma dermatologista que me orientou e pela primeira vez na vida comecei a usar protetor solar.

No tratamento uso um ácido para clarear as manchas, um antioxidante e o protetor. Com dois meses do início das medicações já consigo ver uma melhora significativa, pelo fato do protetor ser como uma base estou adorando usar e com a certeza de que estou fazendo o melhor pra mim.

Como sou mãe, penso também no exemplo que estou dando para as minhas filhas. Ensinando-as a se cuidarem desde sempre e não fazer como a mãe que só começou a usar protetor depois dos trinta.

Despindo-me

Eu não sou uma boa mãe…

Eu não sou uma boa mãe quando grito com as minhas filha, quando perco a paciência, ou quando fico com raiva delas.

Não sou uma boa mãe quando tudo o que eu mais queria era fugir, ou quando viro os olhos de tédio quando escuto “mamãe” pela zilézima vez com aquela voizinha de choro tão irritante.

Não sou uma boa mãe quando não escovo os dentes delas por estar tão cansada emocionalmente que só de pensar nessa batalha me encolho e deixo pra lá.

Não sou uma boa mãe quando invejo as mães que trabalham fora e só vêem os filhos algumas horas por dia.

Não sou uma boa mãe quando dou mais atenção para o celular do que para as minhas próprias filhas.

Não sou uma boa mãe quando não insisto para elas comerem verduras ou quando dou meu celular só pra ter um pouco de paz.

Também não sou uma boa mãe quando ameaço para ser obedecida.

Acho que não sou mesmo uma boa mãe, mas gostaria de ser.

Stela

Desenvolvimento Stela 1/6 e 1/7 meses

Está cada vez mais difícil enganá-la. Se antes o celular sumia embaixo do travesseiro, agora não cola mais. Tá esperta a bixinha.

Conseguiu pegar sozinha um copo em cima da pia. Não sei como ela conseguiu, quando vi já estava na mão dela. Preciso aumentar os cuidados em casa.

Depois de quase dois anos, finalmente descobrimos uma estratégia pra viajar com Stela com mais tranquilidade. Colocamos um DVD e vamos rezando pra ela não entediar, já que dormir em viagens não é bem o tipo dela.

Falando em dormir, de vez em quando ela me surpreende dormindo a noite inteira. Mas é raro, muito raro.

Acho que estamos entrando naquela fase dos irmãos onde as coisas tem que ser iguais para evitar tretas. Cecília tem uma boneca preferida que se chama Duda. Da noite pro dia Stela decidiu que essa também seria sua boneca preferida. Instalou o caos. Quando uma pega a tal da boneca a outra quer. E é grito, choro, piti e birra pra todo lado. Delas e meu.

Tem uma BFF (best friend forever). Clarinha a escolhida. Vira e mexe começa a chamar “Cainha” pela casa. Vai na casa da amiga visitar e se dão super bem. Acho tão bonitinho.

Quando acorda pela manhã, pego ela no berço e levo pra minha cama pra ela mamar enquanto eu durmo mais um pouco. Assim que termina de mamar ela desce da cama e começa a puxar a minha mão falando “sai, sai”. Não gosta de curtir aquela preguicinha matinal.

Quando quer que a gente faça silêncio coloca o dedo no nariz e faz “shh”

É a criança mais beijoqueira que eu já vi na vida. Adora pegar a gente de surpresa com beijinhos estalados e desarma até a irmã no meio de uma disputa com esse gesto.

Aprendeu a falar “é meu”. Quando vê alguma coisa com Cecília aponta o dedo, faz a voz de choro com desespero e grita “é meu, é meu”. Nessas horas me dá vontade de sair correndo.  Por aqui as coisas andam bem disputadas ultimamente. Rs.!

18921978_1225301297598171_8561168732515107413_n18922038_1225301027598198_8230258112122392001_n18922208_1225301037598197_4490904921562891214_n19030190_1225301040931530_8640172176247800741_n19030220_1225298084265159_8171270771658578072_n

Stela

Desenvolvimento Stela 1/4 e 1/5 meses

 

Stela já sabe pedir. Ama a galinha pintadinha,- aquela santa/salvadora de famílias – dia desses olhou pra mim e mandou: “Qué Popopó Mamain”. Fiquei desmaiada, coloquei e me toquei que agora o caminho é sem volta. Cada vez mais ela vai exigir o que quer. : O

Sabe onde está o cabelo, a boca, a mão, o pé, o nariz e a orelha.

Adora colocar roupa na cabeça, de preferência roupa suja. As preferidas são as cuecas do pai, sai andando achando a maior graça e fica retada quando a gente tenta tomar. Sobre esses prazeres exóticos, se tem uma coisa na vida que ela ama é mexer em lixo. Curuzes.! Não sei quem essa criança puxou.

Pega meu celular, coloca na orelha e fica um tempão ali conversando com alguma criatura imaginária. Roda o dedinho indicador e às vezes dá até pra pensar que tá rolando alguma DR.

Tomou uma queda e quebrou um pedaço grande do dente. Não superei. Foi uma agonia pra amamentar nos primeiros dias, mas passou. Amém.

Acha que sou sua escrava, adora jogar coisas no chão pra eu pegar. Aponta e começa a gritar “Mamãe péeeee” (pega)

Pega as bolsas de Cecília, pendura no braço e vai pra porta decidida falando “Bó” (bora) #rueiradefine

Quando está mamando e não quer mais, sacode a cabeça falando “Não Tô (peito) mamãe”. Já sabe se comunicar e a vejo como uma mini humana de verdade agora.

Tu-do que Cecília faz ela quer fazer.

Cecília pula de um pé só, ela tenta também

Cecília tem mania de pendurar nas minhas roupas. Lá vem Stela pendurar também.

Cecília quando não quer comer cospe a comida, Stela cospe também.

Cecília fala um desaforo, Stela vem com o seu linguajar em tom desaforado também. Senhor, daí-me paciência.!

Decidiu que lugar bom mesmo pra lavar as mãos é no vaso sanitário. Quando vi a cena quase enfartei. Sorte que só tinha água lá dentro.

Quando chamo pra tomar banho, fica toda animada tentando tirar a roupa.

Não pode ver o penico da irmã de bobeira que senta fingindo que é uma moça desfraldada.

Adora havaiana, quando está descalça pega a sandália pra eu calçar nela e levanta o pé pra me ajudar.

Dá uns pitis, faz umas birras que me dá medo. Viajar com ela de carro é um trauma familiar. Mas tudo isso é um nada perto da gostosura que ela é.

 

20170127_134149

20170127_140831

20170204_113727

DSC_0027

DSC_0041

DSC_0097

DSC_0111

 

Stela

Desenvolvimento Stela 1 ano e 3 meses

Ser mãe de duas é administrar brigas, disputas, dengo, ciúmes o dia todo e de ambas as partes.
Cansa…
Eu tento ser justa, mas vira e mexe o bixinho da culpa vem me incomodar.
Stela é fogo, Cecília gasolina e eu uma simples bombeira apagando incêndios forever. Dia desses banquei a louca, depois de gritos, tapas, puxões de cabelo entre as duas disputando um brinquedo, sair catando tudo e joguei dentro do banheiro. Disse que só devolveria quando elas aprendessem a dividir. Deu certo, nos primeiros 5 minutos.
Quando uma percebe que a outra está se divertindo com alguma coisa (pode ser uma colher), aquilo se torna o My Precious do momento. É punk.!
Mas nessa casa também há paixões.
Quando a paz reina é beijo, abraço, gargalhada e uma conexão linda que existe entre irmãs. Dá gosto de ver.
Stela é pequena, mas percebo que ela entende muitas coisas. A gente se comunica bem, do nosso jeito e acho que ela é um bebê muito inteligente.
Começou a gostar de ficar sozinha, às vezes a casa está um silêncio e quando vou procurar ela está sentadinha no sofá com algum brinquedo.
Pede água (au)
Aponta quando quer alguma coisa, sabe onde está o nariz, adora a galinha pintadinha e chama de Popó quinenzim Cecília quando era pequena.
Desconhece o prazer, a felicidade e a satisfação que é dormir uma noite inteira e eu só lamento por ela e por mim, que estou o bagaço da laranja.
Precisa cortar seus dois fios de cabelo urgente e está cada dia mais viciada no peito que ela chama carinhosamente de “Tô”. Não pode me ver sentada, que começa a puxar a blusa falando “Tô” desesperadamente. Eu amo amamentar, mas tem dias que isso enche o saco. #prontofalei#quemdissequeseriafácil #eusóqueriadormir

Stela

Desenvolvimento Stela 1 ano e 2 meses

O que aconteceu de mais importante neste último mês foi Stela ter começado a andar. Ufa.!!! A gente é mãe de segunda viagem, se acha experiente, descolada, dá conselho, diz que sabe que cada bebê tem o seu tempo, mas a verdade é que quando a criança/bebê não corresponde as NOSSAS expectativas, a gente fica com uma agonia sem fim.
Mesmo sabendo que até 1 ano e 4 meses é normal o bebê não andar sozinho, eu estava ficando preocupada. Aí do nada ela me surpreendeu e deu os primeiros passinhos quando eu menos esperava. Obrigada filha.!
Mama fazendo carinho no meu peito e juntas fazemos cara de paisagem quando alguém vem dar pitaco falando que é feio criança com mais de 1 ano mamar no peito. #vaiterpeitosim
Brinca de dar mamadeira para as bonecas
Quando acha um pano sai limpando o que encontra pela frente.
Descobriu o buraco do nariz e acha a maior graça quando enfia o dedo com tudo. Já percebi que ela gosta de enfiar coisas no nariz.
Fica descontrolada quando eu tento tirar ela da banheira, fala “não” e tenta mergulhar. Quando finalmente consigo pegar ela no colo, faz um escândalo e me quebra na porrada :O
Falando em pitis, quando é contrariada joga o que estiver na mão, deita no chão e se estica toda gritando desesperadamente. A rainha do drama forever.
Belisca Cecília, puxa o cabelo e faz isso de preferência quando acha que ninguém está olhando. Quando é pega em flagrante faz o maior bico do mundo com cara de culpada não arrependida.
Imita tudo o que a gente faz e imita algumas coisas que a gente fala. Do jeito dela.
Continua meu chicletinho e quando percebe que vou tirá-la do colo gruda em mim como se fosse um bicho preguiça. É muito amor